Receita da quarta: Anéis de cebola

Alessandra Bernardo

Reunir os amigos e familiares em casa é muito bom. Mas, ter que pensar em um cardápio gostoso e rápido dá muito trabalho, ainda mais se as receitas escolhidas forem difíceis de fazer ou se você tiver que passar horas em fila de supermercado, para comprar os ingredientes. Pensando nisso, me lembrei de uma receitinha bem saborosa que eu adoro: Anéis de cebola frita. Veja como é simples e prática…

 

Ingredientes

Leite integral gelado, quanto baste
Farinha de trigo temperada com pimenta-do-reino a gosto, quanto baste
Cebolas grandes, cortadas em rodelas finas, com menos de 0,5 centímetro de espessura e geladas previamente, em geladeira

Modo de preparo

Disponha as cebolas em um recipiente e regue-as com leite, para que absorvam bem o líquido. Atenção: se possível, antes desta etapa, deixe os anéis na geladeira durante meia hora ou até que fiquem geladinhos. Em seguida, passe os anéis de cebola na farinha de trigo, de forma que sua superfície fique totalmente envolvida, com cuidado para não quebrar.

Os anéis partidos devem ser descartados. Após recobrir com farinha, balance as cebolas delicadamente para retirar o excesso. Dica: a farinha pode ser temperada com ervas como alecrim e tomilho a gosto.

Hora da fritura: disponha os anéis em óleo preaquecido a 180 graus, por 2 minutos ou até que dourem. Mantenha a gordura limpa retirando os restinhos de fritura com uma peneira de metal. Leve então os anéis prontos para absorver o excesso de gordura, em papel absorvente, enquanto frita outras levas. Salgue a gosto e sirva imediatamente.

As onion rings são para comer na hora, quentinhas

Anúncios

Beber água melhora raciocínio

Saúde!

Novo estudo da Universidade de Connecticut, nos Estados Unidos, aponta um motivo inusitado para bebermos bastante líquido ao longo do dia, e especialmente quando estamos lendo, estudando, escrevendo…

Após acompanhar 51 voluntários submetidos a testes de atenção e lógica, os cientistas descobriram que mesmo uma desidratação leve – aquela que muitas vezes surge antes de a sede dar as caras – já atrapalha o raciocínio. Mais do que isso, o humor piora com a falta de H20 no organismo.

“Todas as células do corpo precisam de água para funcionar, e as neuronais não são exceção”, explica o fisiologista e autor da pesquisa, Lawrence Armstrong. “Sem hidratação adequada, as informações e os sentimentos acabam sendo processados de um jeito impróprio pela massa cinzenta”, conclui.

A diferença entre os sexos

Não se sabe direito a razão, mas um tanque vazio induz respostas distintas na massa cinzenta feminina em comparação com a masculina. Enquanto as mulheres avaliadas na pesquisa americana apresentaram frequentemente cansaço, dores de cabeça e nervosismo, os homens sofreram mais com ansiedade e problemas de memória. Por outro lado, tanto a turma do Bolinha como a da Luluzinha reportaram bastante dificuldade de atenção.

Receita da quarta: Frango xadrez

Alessandra Bernardo

Adoro comida chinesa. E japonesa, italiana, brasileira, mexicana… Sempre me arrisco na cozinha. Depois que casei, então… Algumas receitas dão certo. Outras, nem tanto. Mas, a primeira vez que inventei de fazer um prato simples da culinária chinesa, deu certo pra caramba. E agora, divido com você a receita que alegrou a minha modesta cozinha: frango xadrez. Gostei tanto que um dia desses troquei o frango pela proteína de soja, de tamanho médio, só por curiosidade. E não é que acertei mais uma vez. Pelo menos, eu amei. Mais isso fica para outro post…

Ingredientes

5 filés de peito de frango
2 colheres (sopa) de shoyo
2 colheres (sopa) de molho de tomate
2 pimentões (1 verde e 1 vermelho) cortar em cubos
2 cebolas cortadas em cubinhos
1 colher (sopa) de farinha de trigo
Sal e pimenta
3 colheres de sopa de óleo de soja ou de gergelim
Amendoim ou gergelim (opcional)

Modo de preparo

Tempere o frango com sal e pimenta e após 20 minutos, refogue-o no óleo. Adicione a cebola e os pimentões e deixe cozinhar por 15 minutos, mexendo sempre. Depois, acrescente o shoyo, o molho de tomate e a farinha de trigo dissolvida em 50 ml de água e mexa bem. Cozinhe até engrossar o molho.

Se quiser preparar no microondas, basta seguir estas dicas: corte o frango em quadradinhos e deixe de molho na água por 10 minutos. Depois, escorra e tempere com sal, pimenta e alho. Coloque num refratário fundo, acrescente o shoyo, os pimentões e a cebola. Tampe o recipiente e leve ao microondas por 12 minutos na potência alta. Após esse tempo, abra o refratário e acrescente a farinha de trigo dissolvida em 1/2 copo de água. Mexa e volte ao forno por mais três minutos na potência alta.

Você tem mau-hálito?

Alexandre Morita Cutolo*

Normalmente quem tem problema de mau-hálito ou halitose, não percebe o cheiro desagradável. Quando o odor é constante ocorre fadiga olfatória. Nosso nariz se acostuma com o cheiro, então deixamos de senti-lo para podermos perceber novos odores.
Caso sinta-se constrangido de perguntar a outra pessoa se você apresenta hálito desagradável, uma maneira simples de detectá-lo é lambendo o dorso da mão e aguardando 30 segundos. Depois cheire a região e verifique se apresenta algum odor desagradável.

Alguns fatores que podem influenciar na halitose são:

  • Beber pouco líquido
  • Comer muita gordura e proteína animal ou comida muito temperada
  • Fumar
  • Usar enxaguatório com álcool frequentemente
  • Tomar bebidas alcoólicas com frequência (mais de 2 vezes por semana )
  • Ter o intestino preso
  • Ficar muitas horas sem se alimentar
  • Respirador pela boca
  • Ter diabetes
  • Sentir minha boca seca com frequência
  • Não usar fio dental com frequência
  • Não higienizar a língua durante a escovação provacando o esbranquiçamento da mesma. (saburra lingual)

As principais causas da halitose estão relacionadas a problema digestivos, respiratórios e bucais. Aproximadamente 90% dos casos têm origem bucal, especialmente as alterações na gengiva e no periodonto e a presença de saburra lingual. Por esse motivo, caso desconfie de mau-hálito procure inicialmente o seu dentista.

*Dentista e ortodontista em São Paulo

Receita da quarta: Bolo pé de moleque

Alessandra Bernardo

Encerrando o nosso mês de comidas juninas, não poderia deixar de publicar a receita do bolo pé de moleque, tão típico e gostoso quanto as comidas derivadas de milho. Ela é um pouco mais elaborada (e meio trabalhosa também) que as demais receitas que são divulgadas nesta seção, mas vale a pena fazê-la, nem que seja uma única vez. Então, papel e caneta na mão, porque daqui a pouco chega a hora de comemorar São Pedro…

Ingredientes

600g de massa de mandioca (vende na feira e em alguns mercados)
400 ml de água
600g de açúcar
4 ovos inteiros
120 g de manteiga sem sal
800ml de leite de coco
120g de castanhas de caju torradas e moídas
1 colher (chá) de cravo da Índia moído
1 colher (chá) de canela em pó
1 pitada de sal
Castanha de caju torrada para decorar
Margarina para untar

Modo de preparo

Ferva a água com o açúcar até formar uma calda (por 10 a 15 minutos). Acrescente a manteiga à calda ainda quente. Enquanto isso, misture a massa de mandioca, 600ml de leite de coco e os ovos. Jogue a calda ainda quente nessa mistura e coe em um peneira grossa. Acrescente a castanha moída, o cravo, a canela e o sal.
Pegue a massa entre as mãos e esfregue para dissolver. Disponha a massa em uma assadeira com furo no meio, untada com bastante margarina. Ponha o leite de coco restaurante por cima do bolo (que já deve estar na assadeira) e disponha as castanhas de caju por cima. Asse em forno preaquecido a 180 graus por cerca de 50 minutos.

 

Cyberbullying e “stalking” podem virar crime

Galileu

Após fotos nuas da atriz Carolina Dieckmann terem sido obtidas ilegalmente e espalhadas pela internet, o legislativo brasileiro parece ter voltado sua atenção para o que acontece no meio. Foi aprovado um projeto de lei que criminaliza o cyberbullying e de stalking – e, se você tem contas em redes sociais, sabe o quanto isso é, infelizmente, comum.

De acordo com a proposta de lei, cyberbullying é “intimidar, constranger, ameaçar, assediar sexualmente, ofender, castigar, agredir ou segregar” crianças e adolescentes, enquanto ‘stalkear’ seria “perseguição obssessiva de uma outra pessoa ameaçando sua integridade física ou psicológica ou ainda invadindo ou perturbando sua privacidade”. No primeiro caso, a pena para condenados pode chegar até a quatro anos de prisão e, no segundo, o culpado pode ficar confinado por até sete anos.

Perfil fake pode virar crime também

A comissão de juristas que discute a reforma do Código Penal no Senado aprovou a criação de um capítulo inteiro dedicado a crimes cibernéticos, após a polêmica envolvendo Carolina Dieckmann. A proposta prevê que quem acessar de forma indevida um site protegido por senha, seja invadindo o perfil de outra pessoa ou criando uma identidade falsa, pode pegar de seis meses a um ano de prisão. E mais: caso haja algum prejuízo a terceiro, a pena pode ser aumentada em até um terço.

O projeto não especifica o que é considerado um perfil falso, o que ameaça perfis “fake” de famosos ou contas sob um pseudônimo – mesmo que não sejam perigosos. Ou seja, contas humorísticas, que aparecem muito no Twitter, podem estar com os dias contados. Se você tem um perfil por lá, com certeza conhece ou segue alguma delas, como@FilhadoJustus @hebe_camargo @dilmabr e até o todo-poderoso @OCriador podem estar com os dias contados. E até aquela conta que você criou no Orkut há uma década, só para fuçar as fotos do seu/sua ex sem ser identificado pode se enquadrar na nova lei.

Receita da quarta: Pamonha

Alessandra Bernardo

Um dos pratos típicos mais solicitados nas festas juninas, a pamonha é fácil de fazer e, ao contrário do que muitos falam, não é tão trabalhosa assim. Você pode fazê-la com leite de coco ou de vaca, de acordo com o seu gosto. E o mais importante, para não quebrar o clima junino, ela deve ser cozida e servida dentro de saquinhos feitos com a palha do milho. Então, vamos deixar de conversa fiada e mãos à obra…

Ingredientes:

10 espigas de milho verde
300 ml de leite de coco
200 g de açúcar
Uma colher de sopa de manteiga
Sal a gosto

Modo de preparo:

Limpe as espigas e reserve as palhas. Em um ralador, rale as espigas de milho, coe o milho ralado com o leite de coco (se preferir, corte os grãos do milho rente à espiga e passe tudo no liquidificador). Passe a massa para um recipiente fundo e acrescente açúcar e coloque sal a gosto, mexendo sempre. Se preferir, pode acrescentar meia lata de leite condensado.

Encha as palhas amarradas e cozidas e amarre a ponta com o amarrado de palha do milho. Em uma panela grande com água fervente e fogo baixo, coloque as pamonhas costuradas para cozinhar por até 1h30. Para saber se está no ponto, aperte as espigas com um garfo para sentir se está no ponto

 Montagem:

Montar a pamonha na palha é muito simples – Pegue uma palha, junte as laterais para formar um cone e com uma linha e agulha, costure a lateral toda. Faça isso com todas as palhas. Em uma panela com água fervente, cozinhe-as por 5 minutos até que fiquem moles. Estão prontas para serem preenchidas pela massa de milho. Depois, é só amarrar com fios largos de palha de milho ou linha de costura, com um nó bem firme, para evitar vazamentos.

 

%d blogueiros gostam disto: