Posts Tagged ‘alisamento’

Cabelos chapados estão out, a moda agora são os modelados

Ig (com adaptações)

Uma década de alisamentos dá espaço à naturalidade. A chapinha e as toucas que alisavam perdem espaço para os rolinhos de papel alumínio, que estimulam os cachos. Os bobes voltam com tudo para deixar o cabelo mais sexy. É o fim do império dos lisos. Dos curtos aos longos, é possível irradiar beleza com ondas e cachos de forma bem natural.

Muitos produtos ajudam a conquistar um visual mais encorpado, entre eles: leave-in, creme sem enxágue, mousse, reparador de pontas, cera, pomada e fluido para escova. Eles podem ser aplicados com os fios úmidos ou secos, sempre modelando – seja amassando ou com o uso de acessórios – de acordo com o resultado desejado. Entre os acessórios estão os bobes, a chapinha (usada para modelar), o babyliss e o difusor.

Chapinha – Para garantir naturalidade e ondas suaves aos fios, uma opção muito usada em casa é a chapinha. O ideal, independente do comprimento dos fios, é que o aparelho tenha em seu desenho ondulações, dando movimento e alinhando os cachos corretamente. Neste caso, os produtos termoativados protegem enquanto fixam, e ainda auxiliam no deslizar do aparelho. Tenha sempre em mente a dupla: calor + proteção.

Secador – Usado com algum fluido especial para escova, o secador ajuda a modelar também, e o tamanho da escova determina o estilo da onda. Para conseguir mais efeito e volume, o uso de bobes é fundamental. Reparadores de pontas auxiliam no brilho e definição.

DifusorO difusor proporciona o efeito de cachos com naturalidade, e o mousse pode auxiliar, proporcionando textura aos fios. A preparação é com o cabelo úmido. O acessório acoplado ao secador confere movimento aos fios e deixa o look com cara de capa de revista. É aconselhável o uso de ativador de cachos.

Modelador – O modelador, famoso bayliss, é o acessório da vez. Além de modelar cachos com facilidade, também é um forte aliado na preparação de penteados. O protetor térmico, claro, é obrigatório. Para um efeito incrível, a dica é escovar o cabelo antes de modelar.

Bobes – Eles podem ser usados após a escova ou com no cabelo seco naturalmente. Quanto mais inclinado para cima estiver o bobe, mais volume a mulher dará a essa mecha; quanto mais deitado e leve, menos volume.

Finalizadores – Os cachos ou ondas podem ser suavizados e alinhados com ceras ou pomadas, que ativam o brilho, eliminam frizz e suavizam o look deixando o cabelo com aspecto natural. Reparadores de pontas também têm esse poder. O importante é parecer o mais despojado possível, como que jogados ao vento.

Bobes – Eles podem ser usados após a escova ou com no cabelo seco naturalmente. Quanto mais inclinado para cima estiver o bobe, mais volume a mulher dará a essa mecha; quanto mais deitado e leve, menos volume.

Finalizadores – Os cachos ou ondas podem ser suavizados e alinhados com ceras ou pomadas, que ativam o brilho, eliminam frizz e suavizam o look deixando o cabelo com aspecto natural. Reparadores de pontas também têm esse poder. O importante é parecer o mais despojado possível, como que jogados ao vento.

 

Procura por cabelo liso pode virar armadilha

Alessandra Bernardo

Sonho de consumo para algumas

A obsessão por cabelos lisos expõe muitas mulheres às situações de risco e o que deveria ser motivo de beleza e alegria acaba se transformando em problemas de saúde e aborrecimentos. Procedimentos como tingimento, alisamento, permanente e qualquer outra técnica que ofereça milagres para os cabelos podem gerar alergias, irritações e a queda dos fios, que, bombardeados pelas químicas, não resistem aos efeitos devastadores dos produtos.

A causa destes problemas? O uso do formol e da amônia, ainda presentes em escovas ditas progressivas ou definitivas.

“Por ser mais forte, o formol é o principal causador de sintomas mais intensos de mal-estar e alergia, principalmente se usados em altas concentrações. Há produtos seguros, mas muitos usam fórmulas com grandes concentrações de formol, sem se importar com a saúde”, alerta a dermatologista Simone Petrucci.

A exposição aos produtos químicos contidos nas fórmulas pode causar sérios problemas para o organismo, como irritação no couro cabeludo, coceira incontrolável ou vermelhidão na pele. Proibido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) há alguns anos, o formol pode causar fortes dores de cabeça, tosse, falta de ar, vertigem, dificuldade para respirar e edema pulmonar, se inalado.

Já o contato com o vapor ou com a solução pode deixar a pele esbranquiçada, áspera e provocar forte sensação de anestesia. Em casos graves, pode inclusive causar necrose superficial na pele.

Queda de cabelo

Quem passar longos períodos expostos ao formol pode apresentar dermatite e hipersensibilidade, rachaduras na pele e ulcerações principalmente entre os dedos e conjuntivite.

“Na hora não senti nada, mas quando passou dois dias, meu cabelo começou a cair. Imaginei que fosse normal, até porque a cabeleireira me avisou que talvez eu tivesse alguma reação, mas no dia seguinte, os fios começaram a quebrar pela metade e ficaram ásperos. Corri para o salão chorando e por pouco não fiquei careca”, relata Juliana Araújo.

Exceção – A legislação que regulamenta o uso do formol, considerado cancerígeno pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em cosméticos permite que ele seja usado apenas como conservante ou endurecedor de unhas e proteção de cutículas.

%d blogueiros gostam disto: